Banner

Pela primeira vez haverá uma chef de cozinha para treinar, capacitar, profissionalizar e padronizar a merenda do Estado de São Paulo.

O projeto da nova Merenda Escolar, apresentado pela Secretária do Estado de Educação em parceria com a chef Janaina Rueda, tem duração de dois anos e entrará em vigor por etapas abrangendo cerca de cinco mil escolas de todo o Estado, 7500 merendeiras treinadas pessoalmente por Janaina na ETEC Santa Efigênia, no centro de S. Paulo, para alcançar os 1,8 milhão de alunos da rede, segundo a Secretaria da Educação.

Merenda Escolar do Estado de São Paulo

“Quanto menos processados forem os alimentos mais rico em vitaminas e minerais eles serão. E menor também será a concentração de sódio, gordura e açúcar. Além disto, usando produtos frescos estaremos mais próximos da nossa cultura alimentar” . Janaina Rueda

Após quatro meses de testes avaliando e testando produtos já licitados pela secretaria de Educação do Estado de S. Paulo, a chef introduziu alimentos in natura como repolho, acelga, couve, frutas sazonais, moela, lentilha, paleta suína, entre outros. Com isso pode retirar alimentos industrializados, como nuggets, salsichas industrializadas e carnes enlatadas.

Em agosto de 2016, a primeira a aderir ao projeto será a Escola Estadual Maria José, no centro São Paulo – local onde a chef estudou. “Até o final do ano, estaremos atuando em todas as escolas da região central da cidade”, diz Janaina.

Ao todo serão dez receitas brasileiras tradicionais e mais dez receitas sazonais, que seguirão o calendário popular brasileiro, como Páscoa, Festa Junina, Dia das crianças, etc. O cardápio da nova merenda escolar está dividido entre receitas bovinas, suínas, com frango, peixe e até opção vegetariana e vegana. Ele é composto por: Estrogonofe, Carne de panela, Macarrão bolonhesa, Refogado de carne moída, Feijoada, Frango a caçarola, Cuscuz de frango, Peixada, Macarrão com sardinha e a opção vegetariana que mudará quinzenalmente – Arroz com lentilha, Ovo ao molho e Salada de beterraba.

O cronograma e as metas para 2017 nas escolas da capital, são:

  • Fevereiro e Março – escolas da região norte leste – treinamento para 1500 merendeiras;
  • Abril e Maio – escolas da região ABCD e Sul – treinamento para 1600 merendeiras;
  • Junho e Agosto – escolas da região metropolitana leste – treinamento para 900 merendeiras;
  • Setembro e Outubro – escolas da região metropolitana sul e oeste – treinamento para 1000 merendeiras;

Para 2018, o projeto da nova merenda terá como alvo as escolas do interior de São Paulo.

Além da questão nutritiva, o novo programa visa ampliar as taxas de matrícula e frequência, melhor o desempenho dos estudantes e contribuir para a saúde e o bem estar dos estudantes. “Uma criança bem alimentada é uma criança que terá melhor rendimento escolar, além de prevenir doenças vasculares, diabetes, colesterol, hipertensão, etc”, afirma Wilson Levi.

Combater obesidade infantil é um dos desafios que o programa também enfrentará. Em 1974, a quantidade de homens obesos de idade entre 10 a 19 anos representava 3,7% da população e em 2009 este número saltou para 21,7%. Cerca de 80% das crianças obesas com 10 anos se tornarão adultos obesos. “Queremos ver nossas crianças saudáveis. Quero ver as mães dos alunos fazendo receitas escolares em suas casas e juntos ajudarmos a mudar este quadro”, diz Janaina.

Outra vertente do projeto será a elaboração da Cartilha da Alimentação Escolar que reunirá o programa de Alimentação Escolar, os produtos da alimentação escolar do Estado, as receitas desenvolvidas pela chef Janaina Rueda e a importância do cozinhar para formação de hábitos alimentares saudáveis. Este material será produzido pela jornalista Luiza Fecarotta e todas as receitas estarão disponíveis no site da Secretaria e redes sociais. “A Escola além de ser um centro de ensino é também um centro de difusão de boas práticas”, finaliza Levi.

 

Share.

Leave A Reply