Banner

“Se não houvesse excesso de tributação, brasileiros poderiam desfrutar de uma mesa mais farta na Semana Santa”, afirma o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike

bacalhauQuanto custaria fazer o almoço do domingo de Páscoa se não fossem os impostos? Sem dúvida, a confraternização sairia bem mais em conta. O bacalhau, por exemplo, um dos produtos mais tradicionais da mesa do brasileiro na Semana Santa, já não custa barato. Todavia a culpa não é somente do período, já que a carga tributária deste produto é de 43,78%. Para aqueles que gostam de apreciar o prato degustando vinho, um alerta: a bebida tem 54,73% de seu valor em impostos. Sobre o preço da tradicional colomba pascal, 38,68% é de tributos.

Os dados são do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT, que divulga, em um estudo, a carga tributária de várias produtos relacionados com a Páscoa 2014. Quem é fã de reunir a família e almoçar no restaurante também não escapará da carga tributária, uma vez que pagará 32,31% de impostos. O chocolate em barra e os bombons também têm tributos elevados: 38,60% e 37,61%, respectivamente.

O presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, afirma que a maioria dos brasileiros poderia desfrutar de mesas mais fartas se não houvesse o excesso de tributação. “Os produtos da Páscoa normalmente são superonerados de tributos. Com menos carga tributária, maior seria a demanda de emprego e renda em todos os setores”, relata Olenike.

Confira a lista de produtos da Páscoa com suas respectivas cargas tributárias:

tabela

 

Fonte: Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT

 

 

Share.

Comments are closed.